Da “doença misteriosa dos homossexuais” à Aids: notas sobre Aids na Revista Manchete – década de 1980

Palavras-chave: HIV/Aids, História das doenças, Revista Manchete

Resumo

O artigo tem como objetivo analisar como a “Revista Manchete” abordou a pandemia de Aids na década de 1980 no Brasil. Foi realizado um levantamento dos textos da revista que abordavam a pandemia, tendo sido levantados 260 textos durante a década. Esses textos, por sua vez, foram divididos em 19 categorias e a categoria com maior número de reportagens foi a de “Ciência, medicina e saúde” com 66 resultados. Foram selecionadas quatro reportagens que tiveram destaque dentro da revista ao longo dos anos 1980: a primeira reportagem sobre a Aids; a série de reportagens sobre a Aids em que a “Manchete” foi premiada; e a retrospectiva sobre os dez anos de pandemia. Conclui-se que a revista realizou uma mudança no discurso entre a relação Aids e sexualidade. A “Manchete” utilizou-se muito do discurso médico para fundamentar seus textos, porém apresentou um discurso polifônico e essa polifonia se estende a Aids.

Referências

Fontes

CARNEIRO, Hélio et al. Aids 10 anos de flagelo. Revista Manchete, Rio de Janeiro, v. 38, n. 1.970, p. 18-34, 20 jan. 1990.

PENNA, Márcia Mello. Aids a tragédia no Brasil – Educação: por enquanto, o único remédio. Revista Manchete, Rio de Janeiro, v. 35, n. 1.853, p. 36-45, 24 out. 1987a.

PENNA, Márcia Mello. A Aids a tragédia no Brasil – A ciência nas frentes de batalha. Revista Manchete, Rio de Janeiro, v. 35, n. 1.854, p. 20-29, 31 out. 1987b.

REVISTA MANCHETE. A misteriosa doença dos homossexuais: Time Magazine. Revista Manchete, Rio de Janeiro, v. 30, n. 1.551, p. 26-27, 09 jan. 1982.

Referências

ANDRADE, Ana Maria Ribeiro de; CARDOSO, José Leandro Rocha. Aconteceu, virou manchete. Revista Brasileira de História, v. 21, n. 41, p. 243-264, 2001.

BRANCO, Viviane Prux; DIEZ, Carmen Lúcia Fornari. Análise do discurso e formação discursiva. In: Congresso Nacional de Educação. Anais... Curitiba: EDUCERE, 2017, p. 8.405-8.416.

BRANDÃO, Helena Hathsue Nagamine. Introdução à análise do discurso. Campinas: Editora da UNICAMP, 2004.

CAPELATO, Maria Helena. Imprensa e história do Brasil. São Paulo: Editora Contexto/ EDUSP, 1988.

DIAS, Cláudio José Piotrovski. A trajetória soropositiva de Herbert Daniel (1989-1992). 133f. Mestrado em História das Ciências pela Casa de Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro, 2012.

FAUSTO NETO, Antônio. Comunicação e mídia impressa: estudo sobre a Aids. São Paulo: Hacker Editores, 1999.

FAUSTO NETO, Antônio. Aids recepção: a contaminação da AIDS pelos discursos sociais. Revista FAMECOS, v. 7, n. 13, p. 94-102, dez. 2000.

FEITOSA, Pedro Walisson Gomes et al. De “Peste Gay” à Supremacia da AIDS entre Heterossexuais no Brasil. Id On Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, v. 12, n. 42, p. 651-661, 2018.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

MACHADO, Marcia Benetti. Jornalismo e perspectivas de enunciação: uma abordagem metodológica. Intexto, v. 1, n. 14, p. 1-11, jan./jun. 2006.

MARTINS, Ana Luiza; LUCA, Tânia Regina de. História da imprensa no Brasil. São Paulo: Editora Contexto, 2008.

NASCIMENTO, Dilene Raimundo do. As pestes do século XX: tuberculose e aids no Brasil, uma história comparada. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005.

SILVA, Carla Luciana; RAUTENBERG, Edina. História e imprensa: estudos de hegemonia. Porto Alegre: FCM editora, 2014.

TIMERMAN, Artur; MAGALHÃES, Naiara. Histórias da Aids. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

TOITIO, Rafael Dias. Cores e contradições: a luta pela diversidade sexual e de gênero sob o neoliberalismo brasileiro. 330f. Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2016.

Publicado
2021-09-15