“A gripe espanhola como lição”: a pandemia de 1918-1919 nos jornais “O Globo” e “Folha de S. Paulo” (1941-2020)

Palavras-chave: Gripe espanhola, Covid-19, O Globo, Folha de S. Paulo

Resumo

A gripe espanhola, como ficou conhecida a pandemia de influenza de 1918-1919, tem sido recordada pelos veículos de mídia, especialmente durante a pandemia da Covid-19. Ao longo de 2020, os jornais estabeleceram paralelos entre as experiências subjetivas, os efeitos sociais e econômicos, e as medidas de isolamento social adotadas nos dois contextos. Neste artigo, analisamos as referências à pandemia de 1918-19 em “O Globo” e na “Folha de S. Paulo”, entre 1941 a 2020. Argumentamos que a gripe espanhola foi mencionada, nesse período, como parâmetro para outras epidemias, a partir do foco sobre o contágio e a letalidade da doença. Entretanto, durante a pandemia da Covid-19, os jornais destacaram aspectos históricos da gripe espanhola e valorizaram o diálogo com historiadoras e historiadores, desde uma perspectiva na qual a história figura como uma lição a ser observada no presente e no futuro pós-pandemia.

Referências

ALVAREZ, Adriana et al. A gripe de longe e de perto: comparações entre as pandemias de 1918 e 2009. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 16, n. 4, p. 1065-1113, out./dez. 2009.

BERTOLLI FILHO, Cláudio. A memória da gripe suína: a contribuição da mídia impressa. In: MOTA, André; MARINHO, Maria Gabriela; BERTOLLI FILHO, Cláudio (Orgs.). As enfermidades e suas metáforas: epidemias, vacinação e produção de conhecimento. São Paulo: USP; UFABC; CD.G Casa de Soluções e Editora, 2015, p. 113-134.

BERTOLLI FILHO, Cláudio. A gripe espanhola em São Paulo, 1918: economia e sociedade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

BERTUCCI, Liane Maria. Epidemia em papel e tinta: a gripe espanhola nos jornais de São Paulo. Khronos: Revista de História da Ciência, n. 6, p. 48-58, dez. 2018.

BERTUCCI, Liane Maria. Influenza, a medicina enferma: ciência e práticas de cura na época da gripe espanhola em São Paulo. 400f. Doutorado em História pela Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2002.

BRITO, Nara Azevedo de. La dansarina: a gripe espanhola e o cotidiano na cidade do Rio de Janeiro. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 4, n. 1, p. 11-30, mar./jun. 1997.

BRITO, Nara Azevedo de. Oswaldo Cruz: a construção de um mito na ciência brasileira. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2006 [1995].

CARVALHO, Bruno Leal Pastor de; TEIXEIRA, Ana Paula Tavares. História Pública e divulgação de História. São Paulo: Letra e Voz, 2019.

DAMACENA NETO, Leandro Carvalho. A Influenza espanhola de 1918/1919 na Cidade de Goiás. 130f. Mestrado em História pela Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2011.

FARIAS, Eduardo Alexandre. Jornalismo à espanhola: um olhar sobre o noticiário recifense da epidemia de gripe de 1918. 178f. Mestrado em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2008.

GAMA, Rosineide de Melo. Dias mefistofélicos: a gripe espanhola nos jornais de Manaus (1918-1919). 172f. Mestrado em História pela Universidade Federal do Amazonas. Manaus, 2013.

GOULART, Adriana da Costa. Revisitando a espanhola: a gripe pandêmica de 1918 no Rio de Janeiro. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 12, n. 1, p. 101-142, abr. 2005.

LAMARÃO, Sergio; URBINATI, Inoã Carvalho. Gripe espanhola. In: ABREU, Alzira Alves (Org.). Dicionário histórico-biográfico da Primeira República 1889-1930. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015, [s.I.].

LUCA, Tânia Regina. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2005, p. 111-153.

MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; SANTHIAGO, Ricardo. História pública no Brasil: sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016.

MENESES, Sonia. A mídia, a memória e a história: a escrita do novo acontecimento histórico no tempo presente. Anos 90, v. 19, n. 36, p. 35-65, dez. 2012.

MUNIZ, Érico Silva Alves; FARIAS, Silviane. A influenza entre nós: a interiorização da gripe espanhola na Amazônia e a chegada da doença a Bragança (PA) (1918). Fronteiras e Debates, v. 6, n. 2, p. 67-84, dez. 2019.

OLINTO, Beatriz Anselmo. Uma cidade em tempo de epidemia: Rio Grande e a gripe espanhola. 112f. Mestrado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 1995.

OLIVEIRA, Valdir de Castro. As fabulações jornalísticas e a Saúde. In: LERNER, Kátia; SACRAMENTO, Igor (Orgs.). Saúde e jornalismo: interfaces contemporâneas. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2014, p. 35-58.

PIERRO, Bruno. Liane Maria Bertucci: Para não cair no esquecimento. Revista Pesquisa FAPESP. 17 abr. 2020. Disponível em: https://bit.ly/2PMgmja. Acesso em: 14 dez. 2020.

SANTOS, Ricardo Augusto dos. O Carnaval, a peste e a “espanhola”. História Ciência, Saúde – Manguinhos, v. 13, n. 1, p. 129-158, 2006.

SCHWARCZ, Lilia; STARLING, Heloisa. A bailarina da morte: a gripe espanhola no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

SILVA, André Felipe Cândido. A origem da cloroquina: uma história acidentada. In: SÁ, Dominichi Miranda de et al. (Orgs.). Diário da pandemia: o olhar dos historiadores. São Paulo: Editora Hucitec, 2020, p. 255-270.

SILVEIRA, Anny Jackeline. A influenza espanhola e a cidade planejada: Belo Horizonte, 1918. 327f. Doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2004.

SILVEIRA, Anny Jackeline. A medicina e a influenza espanhola de 1918. Tempo, v. 10, n. 19, p. 91-105, 2005.

SOUZA, Christiane Maria Cruz de. A gripe espanhola em Salvador, 1918: cidade de becos e cortiços. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 12, n. 1, p. 71-99, jan./abr. 2005.

TALAMONI, Ana Carolina Biscalquini. A Gripe Suína na mídia: educar e orientar contra o pânico. In: MOTA, André; MARINHO, Maria Gabriela; BERTOLLI FILHO, Cláudio (Orgs.). As enfermidades e suas metáforas: epidemias, vacinação e produção de conhecimento. São Paulo: USP, 2015, p. 135-152.

Publicado
2021-04-28
Seção
Ciência, saúde e doenças no Brasil: abordagens históricas e contemporâneas