A interiorização da saúde no Piauí: Parnaíba entre o fim do século XIX e meados do século XX

Palavras-chave: História, Saúde pública, Piauí, Parnaíba

Resumo

A proposta do artigo é analisar o processo em que o município de Parnaíba, localizado no norte do Piauí, realizou a sistematização dos serviços de saúde a partir das iniciativas públicas e filantrópicas, tornando-se destaque no interior do estado entre os anos de 1889 e 1945. A limitação dos serviços no setor da saúde piauiense foi uma condição que persistiu até a década de 1930, quando se verificou a sistematização do departamento de saúde, que passou a ser estruturado a partir da organização, controle e funcionamento dos estabelecimentos de saúde. Nesse contexto, a cidade de Parnaíba obteve expressão no fornecimento de serviços, inclusive se comparada à Teresina, capital do Piauí.

Referências

Fontes

ESTATUTOS DO LACTÁRIO SUZANNE JACOB. Diário Oficial, Teresina, ano 9, n. 69, p. 8-14, 24 mar. 1939.

EXCURSÃO DO INTERVENTOR A PARNAÍBA. Diário Oficial, Teresina, ano 9, n. 83, p. 1, 12 abr. 1940.

NOGUEIRA, Equililérico. Noticiário: Lactário Suzanne Jacob. Revista da Associação Piauiense de Medicina, n. 2, p. 149-153, 1939.

PIAUHY. Governo 1890. In: PIAUHY. Relatório Joaquim Nogueira Parnaguá no dia 23 de agosto de 1890. Therezina: Typ. de Honorato Souza, 1890.

PIAUHY. Governo 1910-1912. In: PIAUHY. Mensagem Antonino Freire da Silva, governador do estado, no dia 1º de junho de 1911. Therezina: Typ. do Piauhy, 1911.

PIAUHY. Diretoria de Saúde Pública. Relatório apresentado por Delbão Rodrigues, provedor da Santa Casa de Misericórdia de Parnaíba, sobre as atividades realizadas no anno de 1917. In: PIAUHY. Caixa de Saúde de 1917. Therezina: [s.I.], 1918.

PIAUHY. Governo 1920-1924. In: PIAUHY. Mensagem João Luiz Ferreira, governador do estado, no dia 1º de junho de 1922. Therezina: Typ. do Piauhy, 1922.

PIAUHY. Governo 1924-1928. In: PIAUHY. Mensagem apresentada em 1º de junho de 1925, pelo governador Mathias Olímpio de Mello. Therezina: Typ. do Piauhy, 1925.

PIAUHY. Relatório Apresentado por Júlio Rosa, Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Teresina, para o Exmo. Sr. Dr. João de Deus Pires Leal, Governador do Estado, sobre as Atividades Realizadas no Anno de 1927. In: PIAUHY. Caixa de Saúde. Therezina: [s.I.], 1928.

PIAUÍ. Diretoria de Saúde Pública. Relatório apresentado pelo provedor Acrisio da Costa Furtado, sobre os serviços realizados na santa casa de misericórdia de Parnaíba em 1932. In: PIAUÍ. Códice de Saúde de 1932. Teresina: [s.I.], 1932.

PIAUÍ. Decreto-Lei n. 1.464, de 21 de julho de 1933. Eleva as delegacias de saúde de Floriano e Parnaíba à condição de dispensários. In: PIAUÍ. Decretos do Piauí de 1933. Teresina: Imprensa Oficial, 1933.

PIAUÍ. Departamento de Saúde. Relatório apresentado pelo provedor da santa casa de misericórdia de Parnaíba sobre os serviços realizados em 1940. In: PIAUÍ. Códice de Saúde de 1940. Teresina: [s.I.], 1940.

PIAUÍ. Decreto-Lei n. 360, de 2 de maio de 1941. Cria o instituto de assistência hospitalar. In: PIAUÍ. Decretos do Piauí de 1941. Teresina: Imprensa Oficial, 1941.

PIAUÍ. Decreto-Lei n. 496, de 24 de fevereiro de 1942. Transfere o hospital de Floriano para o instituto de assistência hospitalar. In: PAIUÍ. Decretos do Piauí de 1942. Teresina: Imprensa Oficial, 1942a.

PIAUÍ. Decreto-Lei n. 529, de 19 de maio de 1942. Realiza o pagamento do terreno para construção da maternidade de Parnaíba. In: PAIUÍ. Decretos do Piauí de 1942. Teresina: Imprensa Oficial, 1942b.

PIAUÍ. Departamento de Saúde. Relatório apresentado pelo diretor Miguel Jogaib sobre os serviços realizados em 1943 no centro de saúde de Parnaíba. In: PAIUÍ. Códice de Saúde de 1943. Teresina: [s.I.], 1944.

RELATÓRIO apresentado ao Presidente pelo interventor Leônidas de Castro Mello, 1943. Diário Oficial, Teresina, ano 16, n. 144, p. 1-10, 23 nov. 1944.

VARGAS, Getúlio Dornelles. O bem-estar e a saúde das mães e das crianças. Discurso pronunciado em 24 de Dezembro de 1939. Disponível em: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/presidencia/ex-presidentes/getulio-vargas/discursos.pdf. Acesso em: 9 jan. 2014.

Referências

CAMPOS, André Luiz Vieira de. Políticas internacionais de saúde na Era Vargas: o Serviço Especial de Saúde Pública, 1942-1960. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2006.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril: cortiços e epidemias na Corte Imperial. São Paulo, Companhia das Letras, 2006.

CODATO, Adriano. Os mecanismos institucionais da ditadura de 1937. História, v. 32, n. 2, p. 189-208, jul./dez. 2013.

COSTA, Jurandir. Ordem médica e norma familiar. Rio de Janeiro: Graal, 2004.

ESPING-ANDERSEN, Gøsta. The three worlds of welfare capitalism. New Jersey: Princeton University Press, 1990.

FONSECA, Cristina. Saúde no governo Vargas (1930-1945): dualidade institucional de um bem público. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2007.

FREIRE, Maria Martha de Luna. Mulheres, mães e médicos: discurso maternalista no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2009.

GAUDENZI, Paula; ORTEGA, Francisco. O estatuto da medicalização e as interpretações de Ivan Illich e Michel Foucault. Revista Interface, v. 16, n. 40, p. 21-34, jan./mar. 2012.

HOCHMAN, Gilberto; FONSECA, Cristina. Políticas de saúde e previdência, 1937-45. In: PANDOLFI, Dulce (Org.). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: FGV, 1999, p. 73-93.

MARINHO, Joseanne Zingleara Soares. “Manter sadia a criança sã”: as políticas públicas de saúde materno-infantil no Piauí de 1930 a 1945. Jundiaí: Paco Editorial, 2018.

MARTINS, Ana Paula Vosne. Gênero e Assistência: considerações histórico-conceituais sobre práticas e políticas assistenciais. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, v. 18, p. 15-34, dez. 2011.

MARTINS, Ana Paula Vosne. Visões do feminino: a medicina da mulher nos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2004.

PILOTTI, Francisco; RIZZINI, Irene. Conclusão. In: PILOTTI, Francisco; RIZZINI, Irene (Orgs.). A arte de governar crianças: a história das políticas sociais, da legislação e da assistência à infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2011, p. 323-329.

REGO, Junia Motta Antonaccio Napoleão. Dos sertões aos mares: história do comércio e dos comerciantes da cidade de Parnaíba. Teresina, EDUFPI, 2013.

RIZZINI, Irene. O Século perdido: raízes históricas das políticas públicas para a infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2008.

SANTOS, Luiz Castro. Poder, ideologias e saúde no Brasil da Primeira República: ensaio de sociologia histórica. In: HOCHMAN, Gilberto; ARMUS, Diego (Orgs.). Cuidar, controlar, curar. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2004, p. 249-293.

SIMILI, Ivana Guilherme. Mulher e política: a trajetória da primeira-dama Darcy Vargas (1930-1945). São Paulo: UNESP, 2008.

SOUZA, Gustavo. História da Santa Casa de Misericórdia de Parnaíba. In: SANTOS JÚNIOR, Luiz Ayrton (Org.). História da Medicina no Piauí. Teresina: Academia de Medicina do Piauí, 2003, p. 83-88.

TOMASCHEWSKI, Cláudia. Composição social dos irmãos e dirigentes da Santa Casa de Misericórdia de Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil (1847-1922). In: SANGLARD, Gisele et al. (Orgs.). Filantropos da nação. Rio de Janeiro: FGV, 2015, p. 55-74.

Publicado
2021-04-28
Seção
Ciência, saúde e doenças no Brasil: abordagens históricas e contemporâneas