A internacionalização no Ensino Superior pelos letramentos acadêmicos: uma perspectiva necessária

Palavras-chave: Internacionalização, Ensino Superior, Letramentos acadêmicos, Práticas letradas

Resumo

Este estudo trata da necessidade e da relevância social dos letramentos acadêmicos no Ensino Superior, objetivando promover uma discussão acerca de iniciativas de ensino e pesquisa, como práticas letradas, envolvendo línguas estrangeiras, com vistas à internacionalização. Trata-se de um dos princípios desta Universidade, conforme Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) proposto pela Universidade Estadual do Paraná, no Brasil. Quanto à metodologia, analisamos as produções de escrita e reescrita de professores em formação, de um curso de Letras (Português/Inglês), com foco no gênero de texto Abstract e seus elementos constitutivos tomando por base as capacidades de linguagem apresentadas pela Escola de Genebra. Os resultados apontam para avanços neste processo de estudo e de produção de texto pelos estudantes, visando a uma compreensão mais ampliada dos letramentos acadêmicos considerando-se aspectos relaciona-dos à internacionalização.

Referências

ARAÚJO, Camila Maria de; BEZERRA, Benedito Gomes. Letramentos acadêmicos: leitura e escrita de gêneros acadêmicos no primeiro ano do curso de Letras. Diálogos: Revista de Estudos Culturais e da Contemporaneidade, n. 9, p. 5-37, maio/jun. 2013.

BARTON, David; HAMILTON, Mary. Local literacy: reading and writing in one community. London; New York: Routledge, 1998.

BORK, Ana Valéria Bisetto. Mapeamento das iniciativas de escrita em língua materna na Educação Superior: resultados preliminares. Prolíngua, v. 9, n. 1, p. 2-14, 2015.

BRASIL. Documento de Área: Letras e Linguística. Brasília: CAPES, 2016.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. São Paulo: EDUC, 2007.

CONCEIÇÃO, Rute Izabel Simões. Concepções de letramento e a relação entre a fala e a escrita na visão de professores de língua portuguesa em formação. In: GONÇALVES, Adair Vieira; BANZARIN, Milene (Orgs.). Interação, gêneros e letramento: a (re)escrita em foco. Campinas: Pontes Editores, 2013, p. 133-147.

CRISTOVÃO, Vera Lúcia Lopes. Modelos didáticos de gênero: uma abordagem para o ensino de língua estrangeira. Londrina: EDUEL,2007.

CRISTOVÃO, Vera Lúcia Lopes. Para uma expansão do conceito de capacidades de linguagem. In: BUENO, Luzia; LOPES, Maria Angela Teixeira; CRISTOVÃO, Vera Lúcia Lopes (Orgs.). Gêneros textuais e formação inicial: uma homenagem à Malu Matencio. Campinas: Mercado das Letras, 2013, p. 357-380.

DIAS, Rutineia Silva Oliveira; MONT’ ALVERNE, Clara Roseane da Silva Azevedo. Letramento e a existência de práticas letradas no ambiente escolar. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, v. 5, n. 6, p. 52-71, 2020.

DIONÍSIO, Maria de Lourdes. Educação e os estudos atuais sobre letramento. Perspectiva, v. 25, n. 1, p. 209-224, jan./jun. 2007.

DOLZ, Joaquim; GAGNON, Roxane; DECANDIO, Fabrício. Produção escrita e dificuldades de aprendizagem. Campinas: Mercado das Letras, 2010.

DOLZ, Joaquim; PASQUIER, Auguste; BRONCKART, Jean-Paul. L'acquisitiondesdiscours: emergence d'une compétence ou apprentissage de capacitéslangagièresdiverses. Etudes de Linguistique appliquée, n. 92, p. 23-37, 1993.

FIAD, Raquel Salek. A escrita na universidade. Revista da ABRALIN, v. 10, n. 4, p. 357-369, 2011.

FISCHER, Adriana. A construção de letramentos na esfera acadêmica. 340f. Doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2007.

FISCHER, Adriana. Letramento acadêmico: uma perspectiva portuguesa. Revista Acta Scientiarum, v. 30, n. 2, p. 177-187, jul./dez. 2008.

GEE, James Paul. Social linguistics and literacies: ideology in discourses. London; Philadelphia: The Farmer Press, 1996.

JONES, Carys; TURNER, Joan; STREET, Brian (Orgs.). Students writing in the university: cultural and epistemological issues. Amsterdam: John Benjamins, 1999.

KATO, Mary. No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística. São Paulo: Ática, 1986.

KLEIMAN, Angela (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995.

KLEIMAN, Angela; MATENCIO, Maria de Loudes Meirelles (Orgs.). Letramento e formação do professor: práticas discursivas, representações e construção do saber. Campinas: Mercado de Letras, 2005.

LANKSHEAR, Colin et al. Introduction. In: LANKSHEAR, Colin et al. Changing literacies. Philadelphia: Open University Press, 2002, p. 1-7.

LEA, Mary; STREET, Brian. Student writing in higher education: an academic literacies approach. Studies in Higher Education, v. 23, n. 2, p. 157-173, 1998.

LEA, Mary; STREET, Brian. O modelo de “letramentos acadêmicos”: teoria e aplicações. Filologia e linguística Portuguesa, v. 16, n. 2, p. 477-493, jul./dez. 2014.

MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane; ABREU-TARDELLI, Lília Santos. Resumo. São Paulo: Parábola Editorial, 2004a.

MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane; ABREU-TARDELLI, Lília Santos. Resenha. São Paulo: Parábola Editorial, 2004b.

MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane; ABREU-TARDELLI, Lília Santos. Planejar gêneros acadêmicos. São Paulo: Parábola Editorial, 2005a.

MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane; ABREU-TARDELLI, Lília Santos. O resumo escolar: uma proposta de ensino do gênero. SIGNUM, v. 8, n. 1, p. 89-101, jun. 2005b.

MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane; ABREU-TARDELLI, Lília Santos. Trabalhos de pesquisa. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

MAGALHÃES, Tania Guedes; CRISTOVÃO, Vera Lucia Lopes. Letramento científico, gêneros textuais e ensino de línguas: uma contribuição na perspectiva do interacionismo sociodiscursivo. Raído, v. 12, n. 30, p. 52-72, jul./dez. 2018.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, 2003.

MARINHO, Marildes. A escrita nas práticas de letramento acadêmico. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 10, n. 2, p. 363-386, 2010.

MOROSINI, Marília Costa. Internacionalização na produção de conhecimento em IES brasileiras: cooperação internacional tradicional e cooperação internacional horizontal. Educação em Revista, v. 27, n. 1, p. 93-112, 2011.

MOTTA-ROTH, Désirée. A importância do conceito de gêneros discursivos no ensino de redação acadêmica. Intercâmbio, v. 8, p. 119-128, 1999.

MOTTA-ROTH, Désirée; HENDGES, Graciela Rabuske. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

NOGUEIRA, Nara Nília Marques. Dimensões “escondidas” da internacionalização do ensino superior. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 18, n. 4, p. 951-982, 2018.

RAMOS, Rosinda de Castro Guerra. Gêneros textuais: uma proposta de aplicação em cursos de inglês para fins específicos. The ESPecialist, v. 25, n. 2, p. 107-129, 2004.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

SCHNEUWLY, Bernardo; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2004.

SILVA, Emily Caroline da; LOUSADA, Eliane Gouvêa. O plano de estudos: um gênero textual acadêmico para pleitear intercâmbio. Horizontes, v. 32, n. 2, p. 73-87, jan./jun. 2014.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

SOARES, Magda. Letramento e escolarização. In: RIBEIRO, Vera Magalhães (Org.). Letramento no Brasil. São Paulo: Global, 2003, p. 89-113.

SOARES, Magda. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação, n. 25, p. 18-19, jan./abr. 2004.

STREET, Brian. Literacy in theory and practice. London: Cambridge University Press,1984.

STREET, Brian. Dimensões escondidas na escrita de artigos acadêmicos. Perspectiva, v. 28, n. 2, p. 541-457, 2010.

STUTZ, Lidia; CRISTOVÃO; Vera Lucia Lopes. A construção de uma sequência didática na formação docente inicial de língua inglesa. Signum, v. 14, n. 1, p. 569-589, 2011.

UNESPAR. PDI – Plano de Desenvolvimento Institucional: 2018-2022. Paranavaí: Unespar, 2018.

Publicado
2021-01-07
Seção
A universidade como agente de desenvolvimento cultural, social e econômico