Estratégias democráticas na trajetória do comunismo brasileiro (1955-1979): a formação do PCBismo contemporâneo

  • Victor Augusto Ramos Missiato Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM)
Palavras-chave: Brasil, comunismo, democracia

Resumo

A relação entre esquerda e democracia no Brasil passou por diversas transformações e adaptações no decorrer da segunda metade do século XX. No caso específico do Partido Comunista Brasileiro (PCB), os temas da democracia e da democratização social foram sendo revisitados no decorrer das transformações sociopolíticas, vivenciadas pelo país nas conjunturas dos anos 1950, 1960, 1970 e 1980. Diante disso, nosso objetivo no presente artigo é analisar a trajetória da relação entre estratégia política pecebista e defesa da democracia, tendo como referencial o chamado pecebismo contemporâneo e sua cultura política constitucionalista.

Referências

AGGIO, Alberto. Um lugar no mundo: estudos de história política latino-americana. Rio de Janeiro: Contraponto; Brasília: Fundação Astrojildo Pereira (FAP), 2015.

BRANDÃO, Gildo Marçal. A esquerda positiva: as duas almas do Partido Comunista – 1920/1964. São Paulo: Hucitec, 1997.

COUTINHO, Carlos Nelson. A democracia como valor universal. In: SILVEIRA, Enio, et al. (Orgs.). Encontros com a civilização brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979, p. 33-47.

______. A presença de Gramsci no Brasil. Revista em Pauta, n. 22, p. 37-44, 2009a.

______. Entrevista à Revista Caros Amigos. In: Caros Amigos, ed. 153, 2009b, p. 33-37.

FURET, François. O passado de uma ilusão: Ensaio sobre a ideia comunista no século XX. Lisboa: Presença, 1996.

GUEDES, Armênio. O pecebismo contemporâneo. In: SANTOS, Raimundo (Org.). O marxismo político de Armênio Guedes. Brasília: Fundação Astrojildo Pereira, 2012. p. 73-77

HENRIQUES, Luiz Sérgio. O legado de Armênio, agora. 2013. Disponível em: <http://bit.ly/37BDPbs>. Acesso em: 26 nov. 2019.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. A cultura política comunista: alguns apontamentos. In: CZAJKA, Rodrigo; NAPOLITANO, Marcos; MOTTA, Rodrigo Patto Sá (Orgs.). Comunistas brasileiros: cultura política e produção cultural. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013, p. 15-37.

NOGUEIRA, Marco. Aurélio. Comunistas, comunismo: o desafio da renovação. Presença: Revista de Política e Cultura, n. 1, p. 91-96, nov. 1983.

PONS, Silvio. A Revolução Global: a história do comunismo internacional (1917-1991). Rio de Janeiro: Contraponto; Brasília: Fundação Astrojildo Pererira, 2014.

SANTOS, Raimundo (Org.). O marxismo político de Armênio Guedes. Brasília: Fundação Astrojildo Pereira, 2012.

SANTOS, Raimundo; SEGATTO, José Antonio. A valorização da política na trajetória pecebista dos anos 1950 a 1991. In: REIS, Daniel Aarão; RIDENTI, Marcio. História do marxismo no Brasil: partidos e movimentos após os anos 1960. Campinas: Unicamp, 2007, p. 13-62.

SANTOS, Wanderlei Guilherme dos. O cálculo do conflito: estabilidade e crise na política brasileira. Belo Horizonte: UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2003.

SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Getúlio a Castello (1930-64). São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

VIANNA, Luiz Werneck. A transição: da Constituinte à sucessão presidencial. Rio de Janeiro: Revan, 1989.

______. A revolução passiva: iberismo e americanismo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 1997.

Fontes

PCB. Partido Comunista Brasileiro. O programa do parido, as experiências das eleições de 3 de outubro e as nossas tarefas para a campanha eleitoral de 1955: intervenção no IV Congresso do Partido Comunista do Brasil – PCB. In: Problemas Revista Mensal de Cultura Política, n. 64, 1955. Disponível em: <http://bit.ly/2LjvnE9>. Acesso em: 19 nov. 2019.

______. Resolución Política del Comité Central del PCB. In: Pricnipios, Santiago (Chile), ed. 108, 1965, p. 148-157.

______. V congresso do PCB (1960). In: VINHAS, Moisés. O partidão: A luta por um partido de massas (1922-1974). São Paulo: Hucitec, 1982, p. 125-142.

______. Declaração sobre a política do Partido Comunista Brasileiro (1958). In: O marxismo político de Armênio Guedes. Brasília: Fundação Astrojildo Pereira, 2012, p. 181-206.

Publicado
2020-01-21
Seção
Direitos fundamentais, participação sociopolítica e sociabilidade nas Américas