História Pública brasileira e internacional: seu desenvolvimento no tempo, possíveis consensos e dissensos

  • Bruno Flávio Lontra Fagundes Universidade Estadual do Paraná
Palavras-chave: História, História Pública, Memórias, Públicos

Resumo

A partir da discussão brasileira e internacional, principalmente anglo-saxã, este artigo analisa práticas e desdobramentos conceituais da História Pública – desde seu surgimento, aceito aqui o ano de 1978 pelo texto de Robert Kelley, “The Public History Its origins, nature and prospects”, até a segunda década dos anos 2000, visando alcançar algumas tentativas de definição do campo da História Pública já razoavelmente consolidadas em parte da literatura internacional comparada à recente discussão da literatura brasileira, visando possíveis consensos e dissensos acerca do que marca o campo e sua especificidade em algumas realidades nacionais.

Referências

ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; MENESES, Sônia (Orgs.). História Pública em debate. Patrimônio, Educação e Mediações do passado. São Paulo: Letra e Voz, 2018.
ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; ROVAI, Marta Gouveia de Oliveira (Orgs.). Introdução à História Pública. São Paulo: Letra e Voz, 2011.
ANPUH RJ. Memória e Patrimônio. Texto de apresentação do site do XIV Encontro Regional de História. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2018.
ANPUH MG. Profissão historiador: Formação e Mercado de Trabalho. Texto de apresentação do site do XIX Encontro Regional de História. 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2018.
CARVALHO, Bruno Leal Pastor de. Onde fica a autoridade do historiador no universo digital? In: MAUAD, Ana Maria; SANTHIAGO, Ricardo; BORGES, Viviane Trindade (Orgs.). Que história pública queremos? São Paulo: Letra e Voz, 2018, p. 169-174.
ASHTON, Paul: KEAN, Hilda Kean People and their pasts: Public History Today. Basingstoke, UK: Palgrave MacMillan. Resenha de: CASTENADA, Christopher J. Public History Review, v. 16, p. 119-121, 2009.
CAUVIN, Thomas. The rise of Public History: an international perspective. História Crítica, n. 68, p. 3-26, 2018.
CAUVIN, Thomas. Reply. 2018a. Disponível em: . Acesso em: 10 nov. 2018:
CONGRESSO NACIONAL. Projeto de Lei n. 368 de 2009. Regula o exercício da profissão de historiador e dá outras providências. Brasília. Disponível em: . Acesso em: 5 maio 2011.
DAVISON, Graeme. Paradigms of Public History. Australian Historical Studies, v. 24, n. 96, p. 4-15, 1991.
DE GROOT, Jerome. April 2018. For what it is ‘worth’. Neoliberalism and Public History. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2018.
DE GROOT. Consuming history. Historians and heritage in contemporary popular culture. New York, Routledge, 2009. Resenha de: DI FILIPPO, Laurent. Questions de Comunications, n. 20, p. 384-385, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2018.
FAGUNDES, Bruno Flávio Lontra. Entre tradição, inovação e renovação: sobre cursos de História brasileiros. Revista Saeculum, n. 32, p. 159-181, jan./jun. 2015.
FERREIRA, Rodrigo de Almeida. Qual a relação entre a história pública e o ensino de História? In: MAUAD, Ana Maria; SANTHIAGO, Ricardo; BORGES, Viviane Trindade (Orgs.). Que história pública queremos? São Paulo: Letra e Voz, 2018, p. 29-38.
FERREIRA, Rodrigo de Almeida. O cinema na História Pública. Balanço do cenário brasileiro (2011-2015). In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele; SANTHIAGO, Ricardo. História Pública no Brasil. Sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016. p. 133-147.
FRISCH, Michael. What Public History Offers, and Why It Matters. The Public Historian, v. 19, n. 2, p. 41-43, Spring, 1997.
GLASSBERG, David. Public History and the Study of Memory. The Public Historian, v. 18, n. 2, p. 7-23, Spring, 1996.
GLASSBERG, David. A sense of History. The Public Historian, v. 19, n. 2, p. 69-72, Spring 1997.
GRAHAN, Otis L. Historians and the World of (Off-Campus) Power. The Public Historian, v. 1, n. 2, p. 34-40, Winter, 1979.
GRELE, Ronald J. Whose public? Whose history? What is the goal of a public historian? The Public Historian, v. 3, n. 1, p. 40-48, Winter 1981.
JORDANOVA, Ludmilla. How history matters now. History & Policy. 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2019.
KALELA, Jorma. History Making: the Historian as Consultant. Public History Review, v. 20, p. 24-41, 2013.
KALELA, Jorma. Making History, Basingstoke: Palgrave MacMillan, 2011.
KAMEN, Michael. Public History and the Uses of Memory. The Public Historian, v. 19, n. 2, p. 49-52, 1997.
KEAN, Hilda. Introduction. Public History Review, v. 18, p. 1-11, 2011.
KELLEY, Robert. Public History; its origins, nature and prospects. The Public Historian, v. 1, n. 1, p. 16-28, 1978.
KNEVEL, Paul. Public History. The European Reception of an American Idea? Levend Erfgoed. Vakblad voor public folklore & public history, v. 6, n. 2, p. 4-8, 2009.
LIDDINGTON, Jill. O que é história pública? os públicos e seus passados. In: ALMEIDA, Juniele; ROVAI, Marta G de O. Introdução à História Pública. São Paulo: Letra e Voz, 2011, p. 31-52.
LIDDINGTON, Jill; SMITH, Graham. Crossing cultures: Oral history and Public History. Oral History, v. 33, n. 1, p. 28-31, Spring, 2005.
MALERBA, Jurandir. Acadêmicos na berlinda ou como cada um escreve a História?: uma reflexão sobre o embate entre historiadores acadêmicos e não acadêmicos no Brasil à luz dos debates sobre Public History. Revista História da Historiografia, n. 15, p. 27-50, ago. 2015.
MAUAD, Ana Maria; SANTHIAGO, Ricardo; BORGES, Viviane Trindade (Orgs.). Que história pública queremos? São Paulo: Letra e Voz, 2018.
MAUAD, Ana Maria. O passado em imagens: artes visuais e história pública. In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele; SANTHIAGO, Ricardo. História Pública no Brasil. Sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016. p. 87-96.
NEIL, J. Meredith. Is There a Historian in the House? The Curious Case of Historic Preservation. The Public Historian, v. 2, n. 2, p. 30-38, Winter 1980.
NOIRET, Serge. L’internationalisation de l’Histoire Publique. Public History Weekly. 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2019.
ROSENZWEIG, Roy; DAVID, Helen T. The Presence of the Past: Popular Uses of History in American Life. New York: Columbia University Press, 1998.
ROUSSO, Henry. L'histoire appliquée ou les historiens thaumaturges. Vingtième Siècle, revue d'histoire, n. 1, p. 105-122, jan. 1984.
SANTHIAGO, Ricardo. Duas palavras, muitos significados: alguns comentários sobre a história pública no Brasil. In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; SANTHIAGO, Ricardo. História Pública no Brasil. Sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016, p. 23-36.
SCHITINO, Renata. O conceito de público e o compartilhamento da história. In: MAUAD, Ana Maria; ALMEIDA, Juniele Rabêlo de; SANTHIAGO, Ricardo. História Pública no Brasil. Sentidos e Itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016, p. 37-46.
STEVENS, Mary. Public Policy and the Public Historian: the changing place of historians in public life in France and the UK. Public Historian, v. 32, n. 3, p. 120-135, 2010.
THELEN, David. But is it history? The Public Historian, v. 22, n. 1, p. 39-44, Winter 2000.
Publicado
2019-05-08
Seção
Dossiê: História pública