A escola e sua interface com a luta pelo território: conquista do Povo Puruborá, RO

  • Anatália Daiane de Oliveira Ramos Universidade Federal de Mato Grosso
  • Marli Lúcia Tonatto Zibetti Fundação Universidade Federal de Rondônia
  • Edson Caetano Universidade Federal de Mato Grosso
Palavras-chave: Escola, território, povo Puruborá, indígena

Resumo

Este texto tem como objetivo analisar a relação entre a conquista da escola indígena e a (re)demarcação do Território Puruborá. Trata-se de produto de uma pesquisa de mestrado, do tipo etnográfico, realizada no município de Seringueiras, RO. Os dados foram produzidos por meio de análise documental, observação participante e entrevistas. A análise se deu por meio da triangulação dos dados, em articulação com o referencial teórico utilizado. Os resultados indicam que a conquista da escola, neste contexto, está atrelada às demais lutas desse povo indígena e decorre do histórico processo de sua organização em torno da reivindicação da (re)demarcação do seu território tradicional.

Referências

ABBONIZIO, Aline Cristina de Oliveira. Educação escolar indígena como inovação educacional: a escola e as aspirações de futuro das comunidades. 192fls. Doutorado em Educação da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2013.
AMORIM, Siloé Soares de. Índios ressurgidos: a construção da auto-imagem os tumbalala – Os Kalankó, os Karuazu, os Catókinn e os Koiupanká. 301fls. Mestrado em Multimeios da Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2003.
AMORIM, Siloé Soares de. Os Kalankó, Karuazu, Kaoipanká e Katokinn: resistência e ressurgência indígena no Alto Sertão alagoano. 431fls. Doutorado em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2010.
ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Etnografia da prática escolar. 11 ed. Campinas: Papirus, 2004.
BARBOZA, José Joaci. Puruborá: narrativas de um povo ressurgido na Amazônia. Anais... XI Encontro Nacional de História Oral, Instituto de Filosofia e Ciências Sociais/Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2012 p. 1-16. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 20183.
BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Nhembo’e: enquanto o encanto permanece! Processos e práticas de escolarização nas aldeias Guarani. 272fls. Doutorado em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação. Porto Alegre, 2005.
BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.
BRASIL. Censo demográfico 2010: Características gerais dos indígenas, resultados do universo. In: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro, 2010, p. 1-245. Disponível em: . Acesso em: 02 mar. 2014.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016.
BRASIL. Decreto n. 6.861, de 27 de maio de 2009. Dispõe sobre a Educação Escolar Indígena, define sua organização em territórios etnoeducacionais, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 04 out. 2013.
BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: . Acesso em: 14 set. 2013.
BRASIL. Portaria Interministerial MJ e MC, n. 559, de 16 de abril de 1991. Disponível em: . Acesso em: 09 mar. 2015.
BRASIL. Portaria n. 1.061, de 11 de setembro de 2014. Diário Oficial da União, n. 176, 12 set. 2014. Disponível em: . Acesso em: 07 out. 2014.
BRASIL. Referencial curricular nacional para as escolas indígenas. Brasília: MEC/SEF, 1998.
BRITO, Edson Machado de. A educação Karipuna do Amapá no contexto da educação escolar indígena diferenciada na aldeia do Espírito Santo. 184fls. Doutorado em Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
CASSIMIRO, Poliana Alves; BARBOZA, José Joaci. Grupo de Pesquisa em Educação da Amazônia – GPEA: Puruborá um povo indígena resgatando sua identidade e cultura. Revista Pesquisa & Criação, v. 11, p. 316-322, 2012.
CATHEU, Gil de. Puruborá: mais um povo ressurgido em Rondônia. Conselho Indigenista Missionário de Rondônia (CIMI-RO). 2002. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2014.
CIMI-ANE (Articulação Nacional de Educação). Memória e resistência: a sabedoria dos povos indígenas. 2004.
CONSELHO DE MISSÃO ENTRE POVOS INDÍGENAS (COMIN). Povo Puruborá-RO se organiza para resgatar sua identidade e reconquistar suas terras tradicionais. 2007. Disponível em: . Acesso em: 22 jul. 2015.
CONSELHO INDIGENISTA MISSIONÁRIO DE RONDÔNIA (CIMI-RO). Puruborá. Panewa Especial. Porto Velho: CIMI-RO, 2015, p. 117-118.
CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE (CNS). Resolução 466, de 12 de dezembro de 2012. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2013.
FERREIRA, Edna. A criação do Centro de Educação e Cultura Indígena (CECI) e a educação infantil indígena na aldeia Krukutu. 112f. Mestrado em Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2012.
FERREIRA, Geraldo Veloso. Educação escolar indígena: as práticas culturais indígenas na ação pedagógica da Escola Estadual Indígena São Miguel – Iauaretê (AM). 207fls. Mestrado em Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2007.
GALÚCIO, Ana Vilacy. Puruborá: notas etnográficas e lingüísticas recentes. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, v. 1, n. 2, p. 159-192, maio/ago. 2005.
LEONEL, Mauro. Etnodicéia Uruéu-au-au: o endocolonialismo e os índios no centro de Rondônia, o direito à diferença e à preservação ambiental. São Paulo: Editora da USP/Instituto de Antropologia e Meio Ambiente/ FAPESP, 1995.
LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo de Afonso. Métodos de coleta de dados: observação, entrevista e análise documental. In: LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo de Afonso (Orgs.). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986, p. 25-44.
MARKUS, Cledes. Identidade étnica e educação escolar indígena. 156f. Mestrado em Educação da Universidade Regional de Blumenau. Blumenau, 2006.
MENEZES, Tarsila dos Reis. O passado, o presente e o futuro nas plantas Puruborá (Rondônia). 237fls. Mestrado em Antropologia Social da Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2016.
MONSERRAT, Ruth Maria Fonini. Notícia sobre a Língua Puruborá. In: RODRIGUES, Aryon Dall’Igna; CABRAL, Ana Suelly Arruda Câmara (Orgs.). Novos estudos sobre línguas indígenas. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2005, p. 9-22.
MONTANHA, Gisele de Oliveira. Mitos do povo Puruborá. 37fls.Graduação em Licenciatura em Educação Básica Intercultural da Fundação Universidade Federal de Rondônia. Ji-Paraná, 2014.
NEVES, Josélia Gomes. Cultura escrita em contextos indígenas. 369fls. Doutorado em Educação Escolar da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara, 2009.
NEVES, Josélia Gomes. Povos Indígenas em escolas urbanas da Amazônia: a reedição do contato? Revista Partes, nov. 2013. Disponível em: . Acesso em: 06 dez. 2013.
NOVAIS, Sandra Nara da Silva. Prática social de ressignificação da educação escolar indígena: compreendendo os processos educativos do cotidiano Terena do município de Aquidauana MS. 271fls. Doutorado em Educação da Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2013.
OLIVEIRA, Ovídio Amélio de. História: desenvolvimento e Colonização do Estado de Rondônia. 6 ed. Porto Velho: Dinâmica Editora e Distribuidora Ltda., 2007.
PAIXÃO, Antônio Jorge Paraense da. Interculturalidade e política na educação escolar indígena da aldeia Teko Haw – Pará. 171fls. Doutorado em Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2010.
PEREIRA, Elio Fonseca. História da participação do movimento indígena na constituição das ‘escolas indígenas’ no município de Santa Isabel do Rio Negro-AM. 113fls. Mestrado em Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2010.
ROSSATO, Veronice Lovato. Os resultados da escolarização entre os Kaiowá e Guarani em Mato Grosso do Sul – “Será o letrao ainda um dos nossos?”. 185fls. Mestrado em Educação da Universidade Católica Dom Bosco. Campo Grande, 2002.

Entrevistas
GEISA. [Entrevista cedida a] Anatália Daiane de Oliveira. Aldeia Aperoi, Seringueiras, Rondônia, set. 2014.
MARCELA. [Entrevista cedida a] Anatália Daiane de Oliveira. Aldeia Aperoi, Seringueiras, Rondônia, set. 2014.
MONTANHA, Gisele de Oliveira. [Entrevista cedida a] Anatália Daiane de Oliveira. Aldeia Aperoi, Seringueiras, Rondônia, set. 2014.
OLIVEIRA, Hozana Castro de. [Entrevista cedida a] Anatália Daiane de Oliveira. Aldeia Aperoi, Seringueiras, Rondônia, set. 2014.
SILVA, Deivid Lobato da. [Entrevista cedida a] Anatália Daiane de Oliveira. Aldeia Aperoi, Seringueiras, Rondônia, set. 2014.
SILVA, Valdinei Moreira da. [Entrevista cedida a] Anatália Daiane de Oliveira. Seringueiras, Rondônia, set. 2014.
Publicado
2019-05-13