Hidrografia urbana: desigualdade socioespacial em áreas irregulares em Ponta Grossa, Paraná/Brasil

  • Nisiane Madalozzo Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Edson Belo Clemente de Souza Universidade Estadual de Ponta Grossa
Palavras-chave: Produção do Espaço; Ocupação Irregular; Setores Censitários

Resumo

O presente artigo visa analisar a ocupação irregular às margens do córrego do Lajeadinho, em Ponta Grossa – PR, como estudo de caso para uma situação identificada de forma recorrente em leitos de rios urbanos na cidade de Ponta Grossa – PR. A hidrografia urbana pode ser considerada um importante elemento influenciador na manifestação da desigualdade socioespacial nesse município. Como metodologia, utiliza-se 1) a análise da distribuição de equipamentos urbanos e 2) apresenta-se uma análise dos indicadores sociais referentes a essa ocupação irregular, iniciada na década de 1960. Os dados estatísticos disponibilizados em escala de Setores Censitários possibilitam identificar apenas até certo nível a relação entre a localização dos corpos d’água e a distribuição das classes socioeconômicas. Por outro lado, devido à baixa densidade demográfica das áreas estudadas e ao fato de os setores abrangerem uma área muito extensa em número de quadras, nota-se limitação desse método para identificar de forma objetiva e específica a localização de populações de baixa e alta renda dentro de um mesmo setor. Assim, conclui-se que estudos relativos à ocupação irregular em margens de córregos em situação de densidade demográfica semelhante à de Ponta Grossa – PR –  Brasil devem apoiar-se em levantamentos mais específicos, como atividades de campo, a fim de especificar e aprofundar os apontamentos gerados pelas análises de laboratório que têm por base os dados censitários. Aponta-se, assim, a necessidade de repensar o uso amplamente difundido de análises censitárias como únicas fontes de dados estatísticos para o desenvolvimento de políticas públicas e decisões de gestão urbana em geral.

Publicado
2018-09-11
Seção
Artigos