Dossiês 2020

2018-06-25

Dossiê 1: Direitos fundamentais, participação sociopolítica e sociabilidade nas Américas
Submissão:
20 de julho a 20 de setembro de 2019
Publicação:
v. 12, n. 25, jan./abr. 2020
Orgs:
Pablo Martins Bernardi Coelho (UEMG); Fred Maciel (PPGSeD - Unespar)

A questão dos direitos fundamentais perpassa todo o processo histórico de tentativa de estabelecimento de preceitos humanitários universalmente válidos, institucional e legalmente protegidos, envolvendo garantias individuais e coletivas, sociais, políticas e de organização. Atrelada a essa noção, a consideração da participação social e política como ponto central na efetivação da cidadania e da própria democracia enquanto parâmetro mais amplo revela-se um aporte importante no entendimento das realidades nacionais e regionais; considerando, também, a importância dos espaços de sociabilidade no desenvolvimento de interrelações e na discussão de pautas. Nesse sentido, tendo o espaço das Américas como referência em sua amplitude, heterogeneidade e complexidade, a composição do dossiê pretende agrupar artigos que abordem as diversas relações entre atores/setores sociais e o debate em torno dos direitos fundamentais nos países anglo e latino-americanos, envolvendo temas como: cidadania e democracia, movimentos sociais e direitos humanos, etapas históricas de conquistas de direitos, espaços de diálogo entre esferas estatais/institucionais e sociedade, constitucionalismo e acesso à justiça, políticas públicas e direitos sociais, e processos históricos de participação sociopolítica. Com isso, análises de experiências e desafios atuais, bem como elaborações mais metodológicas/conceituais, serão organizadas objetivando novos e múltiplos olhares sobre as ações sociais e suas relações com os direitos fundamentais e a governabilidade nas regiões americanas.

 

Dossiê 2: A educação superior e sua qualificação por meio de políticas linguísticas voltadas para a internacionalização: avanços e desafios
Submissão: 20 de novembro/2019 a 20 de janeiro/2020
Publicação: v. 12, n. 26, maio/ago. 2020
Orgs: Eliane Segati Rios Registro (Uenp) e Alessandra Augusta Pereira da Silva (Unespar)

Recentes discussões sobre a necessidade de qualificação da educação superior, associada a um exigente contexto de constantes transformações, traz à tona um cenário de muitas incertezas que se pautam na internacionalização como uma resposta às demandas social, política, econômica e cultural como forma de apoio ao desenvolvimento de diversos países. No Brasil, a internacionalização vem ganhando destaque na agenda política por meio do incentivo de agências de fomento federais e estaduais a diferentes projetos e programas das instituições de ensino superior, convergindo no impacto sobre a produção científica acerca dessa temática. É nesse quadro que a dinâmica de internacionalização vai se desenhando, desprendendo-se de um lugar periférico para um lugar central nas políticas elaboradas pelas universidades, permeando os eixos do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão universitária de forma abrangente. Nelas, faz-se necessário o planejamento institucional estratégico de internacionalização, que deve situar e definir as políticas linguísticas, entendidas como a relação entre o poder e as línguas a partir de decisões políticas sobre seu uso na sociedade. As políticas linguísticas objetivam dar suporte às ações previstas nos Planos de Desenvolvimento Institucional de cada universidade, além da busca pela abertura de novos convênios para expansão de sua potencialidade de internacionalização. É nesse contexto que este dossiê está inserido, objetivando discutir o conceito de internacionalização da educação superior a partir de uma perspectiva interdisciplinar, plurilinguística e cultural, advinda das áreas Sociais e Humanidades, com foco principal no Brasil e nas políticas linguísticas e de internacionalização a ele pertencentes.

  

Dossiê 3: A universidade como agente de desenvolvimento cultural, social e econômico
Submissão: 20 de março a 20 de maio de 2020
Publicação: v. 12, n. 27, set./dez. 2020
Org: Valdir Fernandes (UTFPR)

Este Dossiê busca provocar e ser espaço de reflexão e discussões acerca da relevância da Universidade no contexto contemporâneo. Tendo em vista os processos de transformação, intercâmbio e fluxo de ideias, pessoas e culturas que marcam a contemporaneidade, torna-se oportuno refletir sobre o lugar, o papel e a organização da Universidade na sociedade, sobretudo no contexto brasileiro, diante dos constantes questionamentos acerca da finalidade da Universidade Pública. Considerando esse contexto e as linhas de atuação das universidades, ensino, pesquisa e extensão, cumpre refletir sobre sua influência e contribuição nos processos de desenvolvimento dos países ao redor do mundo e do Brasil. Qual sua influência e contribuição no desenvolvimento? Como se desenvolveu e evoluiu o sistema universitário e qual sua conexão com os processos de desenvolvimento cultural, social e econômico? Como isso ocorreu e ocorre no Brasil?

Neste sentido, o Dossiê receberá artigos científicos das diferentes áreas de conhecimento que procurem problematizar temáticas apresentadas conforme os eixos a seguir: a) Estado, políticas públicas e Universidade, contemplando discussões acerca das políticas de Estado para o Educação Superior, do financiamento e gestão dos recursos públicos, bem como o debate sobre a autonomia universitária. Inserem-se igualmente, neste eixo, as reflexões acerca do papel e do lugar da Universidade na contemporaneidade. b) Educação Superior, ciência e sociedade, enfocando questões relativas ao conhecimento produzido nas diferentes áreas e em uma perspectiva multi/inter/transdisciplinar, problematizando a estrutura e organização curricular na Educação Superior diante das demandas dos contextos regional, nacional e internacional. Engloba, ainda, as discussões sobre a formação promovida pela Universidade, voltada tanto para o mundo do trabalho quanto para o desenvolvimento do pensamento crítico-reflexivo. c) Universidade, direitos humanos e desenvolvimento social, voltado para a problematização de temáticas como cidadania, emancipação humana, pautas inclusivas, desigualdades e equidades, diversidades e relações de poder na e a partir da Universidade. Entende-se, assim, a Universidade como espaço do livre pensar e da multiplicidade de perspectivas teórico-metodológicas na produção do conhecimento e da ciência.